11 de Fevereiro, 2024

TAÇA AF VIANA, OITAVOS DE FINAL

Written by on 11 de Fevereiro, 2024

11 de Fevereiro, 2024

TAÇA AF VIANA, OITAVOS DE FINAL
Jogaram-se os oitavos de final da taça da AF de Viana e quanto a surpresas, essas foram em numero reduzido e nem sequer houveram tombas gigantes, mas houveram surpresas. Quanto a estas, começamos pela derrota e eliminação caseira do Cerveira, não só pela derrota, como assim pelo números de golos sofridos,o que não é habitual o Cerveira sofrer tantos e ainda por cima em casa. O Courense, não fez mais que aquilo que lhe era exigido e venceu o Vila Fria da segunda divisão, mas uma equipa que aspira a estar na próxima época entre os grandes distritais. Já quem parece ter encontrado mais dificuldades, foi  Cardielense, que em Arcozelo, não foi alem da vantagem mínima. Recorde-se que este Arcozelo que milita na segunda divisão e que se apresenta como um serio candidato á subida, é uma equipa que tem vindo a mostrar um crescente de forma, depois de não ter iniciado o campeonato da melhor forma. O  candidato Monção, deslocou-se a Deocriste, sabendo que não era tarefa fácil, mas as coisas parece que se tornaram menos complicadas, por aquilo que o resultado mostra, sofre um mas marca quatro. Talvez  jogo para tripla, era aquele e o único que opunha duas equipas da segunda divisão, entre Fachense e ADECAS. O resultado acabou por ser decidido no prolongamento e a favor dos donos da casa, que até pareciam não ser os favoritos, visto o campeonato que  DECAS tem vindo a fazer. No Alferes Pinto Ribeiro, o Neves recebia os seus vizinhos de Castelo de Neiva, desta vez não foram favas contadas para o Castelense, pois o Neves parece não estar tanto,fragilizado, foi eliminado, mas apenas pela margem mínima. Em Ponte da Barca, o sorteio ditou dérbi, pois aqui encontravam-se o Ponte da Barca e o Atlético dos Arcos. As coisas não foram, nem se tornara fáceis para qualquer das equipas,  foi uma partida em que ninguém queria ser eliminado e foi preciso ir alem do tempo regulamentar, para ser encontrado aquele que seguiria em frente na taça, que acabou por ser o Atlético dos Arcos, que tambem é líder da primeira divisão.  Em Ancora, Ancora Praia e Valenciano, tínhamos mesmos objetivos, seguir em frente na taça, mas uma vez mais, foi o Valenciano a levar a melhor e uma vez mais a atirar para fora da taça a equipa de Ancora. Assim seguem para a próxima eliminatória:  Valenciano, Courense, Vitorino de Piães, Cardielense, Monção, Fachense, Castelense e Atlético dos Arcos.
———————–ANCORA PRAIA–1     VALENCIANO—2
O Valenciano, atirou uma vez mais o Ancora para fora da taça, ao vencer por 1-2, numa partida cheia de casos, com a equipa da casa a ver 4 vermelhos, uns bem mostrados, outros nem tanto, numa partida que teve duas partes distintas. A primeira, com um futebol mais bem jogado, com a equipa do Ancora por cima do jogo, a criar mais oportunidades de golo, mas a sorte parecia não estar ao lado dos dianteiros da casa. O  primeiro da partida acontece ao minuto 13, numa jogada de ataque o Valenciano conduzida pela esquerda, no entanto a bola é recuperada pelos defesas do Ancora, que perante um Valenciano instalado na sua frente de ataque, Nandinho, tenta servir os seus defesas do lado esquerdo, só que na entrada da área, apenas estava o Xiquinho do Valenciano,  que recupera a bola na entrada da área e frente ao guarda redes Gui, atirou para  sitio certo. Estava feito o primeiro da partida e para os visitantes, mas os donos da casa como sempre, reagiram bem à desvantagem e foram á procura da igualdade e aos 35 minutos Eric, tem uma grande oportunidade de empatar a partida, mas a bola acaba por sair por cima, aos 45 minutos é a vez de Lucas não conseguir o golo, pois o remate sai a raspar a tinta da baliza de Sergio, que antes havia feito duas enormes defesas a negar o golo a Lucas. Ainda na primeira parte, aconteceram três situações duvidosas na área do Valenciano que o arbitro nada assinalou, uma delas uma carga sobre Lucas que que impediu este de rematar á baliza, terão ficado assim por marcar, pelo menos uma clara situação para grande penalidade. O intervalo chegou com o Valenciano em vantagem, por uma oferta do Nandinho, onde o Valenciano a única vez que foi á baliza do Ancora fez golo, enquanto que das muitas vezes que o Ancora criou perigo no reduto defensivo do Valenciano, não conseguiu marcar uma única vez. O resultado ao intervalo, acabava por seu injusto para os donos da casa, por tudo aquilo que fizeram duram os primeiros 45 minutos.
A segunda parte, em nada teve a ver com a primeira, o jogo endureceu, com muito contacto físico e a primeira situação de jogo, acontece logo no inicio do segundo tempo, quando o Ancora fica reduzido a 10 com a expulsão de Matos. Um jogador do Ancora e outro do Valenciano envolvem-se numa jogada mais dura que passa a agressão e o arbitro expulsa o jogador do Ancora e não mostra qualquer cartão ao jogador do Valenciano, quando terá sido o  Matos do Valenciano, quem fez falta, pareceu-nos mal mostrado este cartão. Esta situação criou logo um desentendimento, dentro de campo, com jogadores do banco de ambos os lados a entrarem em campo. Logo a seguir outro cartão foi exibido, desta vez ao treinador Tiago Araújo, este por discutir decisões da equipa de arbitragem. No entanto  com os nervos á flor da pele, os vermelhos não ficaram por aqui e seria Santa Marta a ver o terceiro vermelho da partida, ficado assim o Ancora reduzido a 9, mas mesmo assim o Ancora continuou á procura do golo que acabaria por surgir ao minuto 25, numa jogada conduzida pela direita por Nandinho, este procura a linha de fundo, faz a bola passar por entre a muralha defensiva do Valenciano e serve Eric descaído sobre a esquerda, que domina á segundo e atira para o golo do empate. Estava tudo em aberto e logo a seguir é Lucas a cabecear ao poste. Aos 30 minutos o Valenciano, passa de novo para a frente do marcador, num golo que surge de um remate cruzado da direita e a bola entra na baliza do guarda redes Gui. Já com o jogo mais duro, Mendes acaba por ver o quarto vermelho da partida, mas aqui nada há apontar, pois Mendes acaba por agredir o jogador do Valenciano, uma situação perfeitamente desnecessária. A equipa de arbitragem, não terá estado ao seu melhor nível, parece ter errado em certas decisões, assim como no primeiro vermelho mostrado, mas na segunda parte os jogadores também em nada contribuíram para o melhor trabalho da arbitragem, o jogo endureceu e não foi um jogo bonito de seguir. Quanto ao treinador do Valenciano, referiu que foi uma primeira parte equilibrada, considerou que a sua equipa foi para intervalo a vencer com uma certa felicidade e considerou que a segunda parte foi uma vergonha para quem anda dentro do campo, jogo endureceu, muitas faltas e agressividade.
COURENSE—–4    VILA FRIA—2
CERVEIRA—— 1    VIT PIÃES–3
ARCOZELO—–0   CARDIELENSE—1
DEOCRISTE—-1   MONÇÃO—4
FACHENSE—–2   ADECAS—1   ap
NEVES———-0    CASTELENSE—1
ANCORA——–1    VALENCIANO—2
P. DA BARCA—0  ATLÉTICO DOS ARCOS–1   ap

——————————-